Aplicação da ciência de dados nas empresas: casos práticos

Aplicação da ciência de dados nas empresas: casos práticos

Talvez não haja um termo tão utilizado atualmente quando o assunto é tecnologia aplicada no ambiente de negócios. E talvez, você, empresário, tenha dúvidas em relação à aplicação desta tecnologia na sua empresa. Se você se pergunta como a Ciência de Dados poderia te ajudar a tomar decisões mais assertivas e aumentar os resultados do seu negócio, este é o artigo certo para você.

Independente do ramo de atividade, a Ciência de Dados pode revelar informações fundamentais para a gestão, desconhecidas pelos executivos da empresa. Entre um enorme conjunto de informações podemos citar aquelas úteis para a otimização e o direcionamento de estratégias, para a compreensão das tendências do cenário econômico e de seus reflexos no mercado, assim como informações relevantes para conhecer a percepção dos consumidores em relação à marca, ou para fazer uma previsão do potencial de vendas, lucros ou prejuízos entre outras.

Para exemplificar a aplicação de Data Science no ambiente de negócios, citaremos casos de sua utilização em áreas e setores distintos para que seja fácil a visualização dos benefícios desta Ciência cada vez mais imprescindível às empresas que querem crescer num futuro próximo.

Exemplo na Área Recursos Humanos

Selecionar candidatos é uma tarefa árdua para muitas organizações. Quem nunca se arrependeu de uma contratação? A grande dificuldade está em definir quem desempenhará melhor a função a partir de uma quantidade limitada de informações.  A Ciência de Dados pode ajudar nisso. É possível treinar o computador para tomar esse tipo de decisão por você, registrando os casos de sucesso e fracasso de recrutamento ocorridos no passado, analisando e inferindo sobre as características que, de fato, implicarão numa contratação que trará resultados no futuro.  Para os mais céticos é importante saber que isso já está sendo feito e tem nome: People Analytics. Algumas organizações estão usando não só dados dos testes, mas também dados obtidos através do Facebook para análise de perfil.

Exemplo na Área Comercial

Imagine um atacadista que vende de porta em porta através de seus representantes comerciais. Nesse caso, muito provavelmente, os dados são coletados na retirada do pedido e de relatório de vendas. A partir do uso da Ciência de Dados, o cruzamento desses dados poderia ser realizado para analisar a eficiência em vendas de cada representante ou definir uma abordagem otimizada para cada agente de vendas maximizar o faturamento da empresa, por exemplo.

Exemplo na Área Operacional

Imagine uma empresa de manufatura. Normalmente, existe um processo de alinhamento entre vendas e operações conhecido como S&OP (Sales and Operations). Esse processo, basicamente, busca antecipar qual será o volume de vendas de cada família de produtos e usar essa informação para planejar a utilização de recursos na produção. Usar modernas ferramentas da Ciência de Dados como o machine learning para aumentar a precisão das previsões pode gerar grandes economias de estoque e melhor utilização dos recursos disponíveis.

Exemplo no varejo

Aplicada no setor de varejo, a tecnologia Data Science pode traduzir dados brutos em informação relevante sobre o comportamento do consumidor, direcionar o desdobramento de metas, nortear a adequação de mix de produtos por região geográfica, apontar a previsão de vendas, entre outros.

Outros Exemplos

Você pode estar pensando que esse tipo de tecnologia seja aplicável apenas em empresas. Um outro bom exemplo de aplicação em governo é o que já acontece no departamento de polícia de Los Angeles. Eles lançaram o programa de policiamento preditivo em 2011. Esse programa reduziu em 2 dígitos os crimes contra a propriedade. O software utilizado pelos policiais é alimentado, constantemente, a partir da entrada de novas ocorrências e, com a análise dos dados, chegam à prever quando e onde os novos crimes irão ocorrer. Parece um sonho, não é?

Esses são bons exemplos de aplicações da Ciência de Dados, mas sozinhos não convencem o empresário a investir nesse novo tipo de tecnologia. O empreendedor que compra esse tipo de solução é diferente. Normalmente, ele é um indivíduo de perfil inovador e que gosta de ser um dos primeiros a adotar novas tecnologias, porque sabe que “quem chega primeiro bebe água limpa”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares