A transformação da matriz de transportes brasileira

A transformação da matriz de transportes brasileira

Em essência, o transporte é considerado um desperdício e deve ser minimizado ou eliminado. Seria ótimo se isto fosse possível, já que os custos relacionados ao transporte nos EUA, que possuem uma matriz de transporte equilibrada, representam de 1/3 a 2/3 dos custos logísticos totais, que, em termos agregados, é maior que 10% do PIB deste país. No entanto, em um exercício de cenários, com a eliminação do transporte já se pode sentir o aumento dos preços e a redução da qualidade nos produtos, trazidos pela redução da concorrência e o desaparecimento de produtos que necessitam de uma cadeia de suprimentos global, como, por exemplo, o caso das baterias que movem os carros elétricos. Logo, a alternativa que sobra, além do apelo ao consumo de produtos locais, é a redução dos custos associados às decisões de transporte. Nesse sentido, nosso país precisa atuar fortemente em cada um dos principais modais de transporte; que são ferroviário, rodoviário, aquaviário, dutoviário e aéreo; para reduzir o impacto que esta atividade tem sobre o preço e qualidade dos produtos.

Modal ferroviário

Dentro do contexto do transporte ferroviário, que é até 6 vezes mais barato que o rodoviário, a concessão dos eixos Norte-Sul e Leste-Oeste complementado pela autorização dos mais de 76 trechos ferroviários, as chamadas shortlines, têm o potencial de dobrar a participação deste modal na matriz de transportes nos próximos anos.

Modal rodoviário

No que diz respeito ao modal rodoviário, que é o único com a capacidade de fazer o “porta-a-porta”, as novas concessões exigindo melhorias na infraestrutura, como terceiras faixas, e construções de pontes e trechos usando as forças armadas, tem o potencial de reduzir o tempo e o custo do frete rodoviário.

Modal aquaviário

Este modal, que não necessita obviamente de manutenções de via, também está passando por uma forte transformação. A modernização da legislação brasileira associada à navegação de cabotagem, considerando o potencial costeiro brasileiro, aliado à concessão de portos condicionados à modernização com foco no aumento da capacidade, têm o potencial de redução de custo de frente geral, principalmente, levando-se em conta que a maioria das capitais brasileiras está próxima ao litoral.

Modal dutoviário

Do ponto de vista do transporte dutoviário, que é o mais econômico de todos os modais, a mudança também foi significativa. O marco do gás natural simplificou a participação da iniciativa privada na construção de dutos destinados ao transporte deste produto. Apesar de estar concentrado em apenas um produto, os impactos econômicos positivos poderão ser sentidos por toda cadeia de suprimentos que tem, ou que poderia ter, este combustível como fonte energética.

Modal aéreo

O transporte aéreo, que junto ao transporte marítimo são os principais modais no transporte internacional, sofreram recentemente transformações consideráveis em nosso país. A criação de aeroportos industriais, nos moldes de zonas francas, aliado a diminuição da restrição de capital estrangeiro societário para operar aviões de passageiros e a concessão de mais de 20 aeroportos no país, também condicionados a modernização da infraestrutura e aumento de capacidade, têm o potencial de ampliar as possibilidades deste modal.

Considerações finais

Apesar da quantidade expressiva de transformações estruturais que passa isoladamente cada modal de transporte, o grande benefício não está associado a um modal específico. O transporte intermodal, que traz a possibilidade de uso combinado desses elementos, potencializado pela utilização de contêineres padronizados, pode gerar soluções ainda mais transformadoras. Será possível, por exemplo, combinar a flexibilidade do transporte rodoviário com o baixo custo da cabotagem e das ferrovias. Nesse sentido os agentes, corretores e demais empresas facilitadoras das operações de transporte terão papel central na extração do máximo benefício da nova matriz de transportes que surgirá na próxima década. Desse modo, a redução de custos e a possibilidade do aumento da concorrência poderá gerar uma redução de preços e um aumento da qualidade dos produtos oferecidos no mercado doméstico.